A GUERRA RUSSO-UCRANIANA E O FIM DOS TEMPOS



A guerra recém deflagrada pela invasão russa à Ucrânia remete o pensamento de todo leitor das Escrituras às palavras de Jesus no sermão profético: "E, certamente, ouvireis falar de guerras e rumores de guerras; vede, não vos assusteis, porque é necessário assim acontecer, mas ainda não é o fim” (Mt 24.6). Nesse momento em que todas as emissoras de rádio e tv do mundo inteiro reportam o conflito, somos levados a pensar quão próximos podemos estar do fim dos tempos. Jesus disse que as guerras e seus rumores são necessários para cumprimento profético, ou seja, elas se relacionam com o fim, mas não são o fim propriamente dito. Diante desta verdade, que relação a guerra russo-ucraniana teria com o fim dos tempos?


Sabemos, pelas Escrituras, que a manifestação do Anticristo trará paz ao mundo. Ele surge em meio à guerra, com proposta de paz. O cenário perfeito para esse futuro governante ser aceito como uma liderança mundial é o caos. Ele será uma resposta para o colapso, o remédio eficaz para um mundo em convulsão.


O anjo Gabriel disse ao profeta Daniel que "ele fará firme aliança com muitos, por uma semana" (Dn 9.27a). Trata-se da 70ª semana profética, que equivale aos 7 anos da Grande Tribulação, que é justamente o período de governo do Anticristo. Ocorre que esse governo será caracterizado por paz, ou uma sensação de paz, ou ainda, uma falsa paz. Exatamente por isso, João viu, por ocasião da abertura do primeiro selo de Apocalipse 6, que ele entra em cena representado pela cor branca, a cor da paz: "Vi, então, e eis um cavalo branco e o seu cavaleiro com um arco; e foi-lhe dada uma coroa; e ele saiu vencendo e para vencer” (Ap 6.2). A expressão “saiu vencendo e para vencer” aponta para o sucesso do Anticristo em sua campanha de pacificação de um mundo que estará em balbúrdia!


Os riscos de um agravamento da guerra na Ucrânia fazem o mundo tremer de pavor. A hipótese do conflito ganhar contornos de guerra mundial já é, em si mesma, aterrorizante. Somemos a este medo todos os acontecimentos relacionados à pandemia do coronavírus. Levemos em conta ainda a instabilidade econômica de todas as nações; mesmo as mais poderosas estão sofrendo com a disparada inflacionária. A crise econômica acaba por fomentar ainda mais outras crises decorrentes dela, como a fome. Sim, todas estas crises foram previstas por Jesus em seu sermão profético e, juntas, elas criam o caos necessário para o surgimento e a aceitação popular desse futuro governante. O mundo se renderá à sua diplomacia, sua capacidade de conciliar interesses antagônicos.


O relógio escatológico de Deus é Israel; não é a Rússia, nem a Ucrânia, nem a OTAN. Entretanto, a guerra que se estabeleceu no velho continente é uma sombra da batalha que o Anticristo irá liderar contra o povo judeu. Há princípios em comum entre uma e outra. Quem tem olhos, que veja. Quem tem ouvidos, ouça!

132 visualizações0 comentário